terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Fotografia Autor - Sombras

Andamos sem rumo pelos cantos perdidos de Lisboa. Becos, escadas e escadinhas foram fotografados de uma maneira arrastada e desfocada. Mostra o estado de espirito daqueles Lisboetas que moram à dezena de anos nos bairros miticos de Lisboa. Quando fizemos esta imagem, ficamos apaixonados. Mas tudo se pode transformar quando a vimos no PC. Mas não. A paixão continuou verdadeira. A imagem transmite bem o que foi aquela noite. Solidão no meio de Sombras. A imagem não tem qualquer efeito no photoshop. Foi mesmo assim fotografada.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

MariaBolacha Rock Mix 49 - Christmas Punk

Um Presente de Natal para ti
Um Mega Remix pelo DJ MB
Christmas Punk
 Versões de Musica de Natal por bandas de Punk mega conhecidas
Blink182, Fall Out Boy, Sugarcult, June, New Found Glory, entre outros
60 minutos de Musicas de Natal em Versão Tudo aos Saltos
BOAS FESTAS

SACA AQUI

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Cronica Troia - Sagres na Versão Elastico

Existe anualmente um peregrinação de todo o tipo de ciclista de Tróia a Sagres. São aqueles que se acham Rectos, Vintage e que foram possuídos pelo espírito nostálgico. Esses são os chamados Palas de Burro, porque não olham para o lado. Todo o que seja mudança faz confusão. Depois existem outros que se então a cagar para a tradição e querem é mostra a sua melhor condição física assim com a bicicleta de ultima geração. Existem outros ainda que não sabem como apareceram ali naquele dia. São aqueles que vão chamar pela mãe milhares de vezes. Nós nem somos uma coisa, nem outra. Não somos ninguem. Todos os parâmetros pedidos para pertencer à família Tróia – Sagres, não se enquadravam em nós. Iríamos fazer só Tróia – Porto Covo – Tróia (não tínhamos logística para ir até Sagres). Levávamos bicicletas que não se enquadra no espírito. Estávamos a cagar para os tempo e mostrar as nossas bikes. Só tínhamos dois objectivos. Deixar alguém aos abutres e curtir ao máximo o grande ajuntamento de pessoas que gostam do mesmo que nós. O resto é tudo uma grande treta. Apanhamos o já mítico primeiro barco em Tróia. 6H45 lá estávamos nós e mais uns milhões. A equipa Endurance Bike Race com a Jersey de Portugal arrancou de imediato quando o barco chegou a Troia. Começaram logo com o jogo do gato e do rato. Quem é o próximo a morrer?. Saímos logo no prego. O Peregrino ficou de imediato para trás. Tinha trazido um mini bicicleta e não aguentou a pressão. Os Três estarolas (JMB, RR e Noddy) começaram a comer quilómetros a rimo bem vivo. O primeiro objectivo era parar no café da Comporta. Do lado contrario passavam centenas de carros com bikes em cima. Era a loucura. Uns para baixo, outros para cima, outros para o lado, outros para o chão. Enquanto estávamos parados no café passara dois grupos enormes. Deu-se o clique e a veia do gato a caçar o rato ficou em pulgas. O objectivo de imediato foi caçar o primeiro grande grupo que tinha passado à 10 minutos. Quando começamos a pedalar um grande grupo apareceu a trás de nós. Pensamos em ir nesse mas a veia estava louca e começamos a ver quem queimava a junta da cabeça mais depressa. Rapidamente começamos a passar muita gente e apanhamos um grupo numeroso e ficamos por lá durante …. 30 segundos. O objectivo era alcançar o outro grupo antes de Sines. A loucura foi tanta que ao fim de alguns quilómetros já estávamos infiltrados nesse grupo. Ainda andamos por lá, mas não dava. Todos tínhamos comido rojões ao pequeno-almoço e aquilo bufava à grande. Em plena auto-estrada até Sines o Rei do Rock meteu uma barra de Feijão Frade e aguentou o grupo durante 10kms a um ritmo a rondar os 38/40 km/h. O homem estava possuído. Quando a gasolina acabou, estava mais magro cinco febras e meia. Com isto tudo deveríamos ter sido uns dos primeiros a chegar a S.Torpes. Às 10h15m já estávamos na Pastelaria do Marques em Porto Covo a beber o belo sumo de laranja. Para nós tinha acabo o Tróia – Sagres de2010. Agora era o Porto-Covo – Almada. Quem é que nos tirava de Porto Covo? Só mesmo ao fim de uma hora e que lá nos fizemos à estrada de novo. Sinceramente é uma seca voltar para trás. Como não tem qualquer objectivo, a sensação é de “O que é que estou aqui a Fazer?” Para cima estava mais fácil. O vento estava pelas costas ajudava. Sem muita historia chegamos a Tróia às 14H35m, com algumas paragens pelo meio. Apanhamos o barco da 15H e chegamos a Setúbal por voltas das 15H30. Como ainda era cedo para ir fazer o Jantar, o JMB, Peregrino e o Noddy, resolveram regressar a csasa de bicicleta. Olé Olé a motivação voltou lá isso é que é. Agora sim, tínhamos um objectivo. Fazer Porto Covo - Casa (algo que nunca tínhamos feito). Com o Noddy a comandar o pelotão lá partimos em direcção à Arrábida. A subida das necessidades fez-se em bom ritmo e depois foi sempre a dar-lhe. Parecia que tínhamos agora começado a andar de bicicleta. O Noddy ficou na sua terra natal, o Peregrino ficou na terra natal da amada e o JMB teve que ainda fazer mais 20 kms até à Feijoca. Foi um belo dia. Com novas ligações e na companhia do maiores Cromos do Endurance em Portugal. Total de 201,6 kms em 7h01m. Um resultado que entrou directamente para o Top 5 (Estrada) da equipa pessoal MariaBolacha Bike Race.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Fotografia Autor - Projecto Metro Margem Sul

Mais um fotografia do Projecto Fotografia de Autor
É uma fografia mais geral onde se retrata o próprio comboio e a envolvência das estações.
Aqui foi colocada de parte a emoção/sentimentos e dá-se mais atenção à acção.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Album da Semana - Silversun Pickups - Swoon

Estamos sempre à procura daquele doce som que nos faz sonhar. Procuramos sons novos que nos fazem vibrar de novo. Depois de enormes pesquisas e muitas horas a ouvir o que tudo parece igual, aparece do nada uma enorme carga de felicidade. Felicidade esta que nos transporta para outras realidades. Para outras dimensões. Saimos do nosso corpo e viajamos. Viajamos para bem longe. Quando ouvimos aquele som unico que amamos, nada importa ao nosso lado. É essa a felicidade da musica. Estamos mal, ficamos bem. Estamos presos, ficamos livres. O Album Swoon dos Silversun Pickups, apesar de ser de 2009, só agora é que o descobrimos. É um quarteto de L.A. formado em 2005. O som mega podoroso das guitarras dentro da area Pop/Rock Indie, misturadas com uma doce voz, provoca ataques de pura adrenalina. O album tem uma magnifica produção. Nota 5. Maravilhoso.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Cronica Meia Maratona Lisboa - 5DEZ10


Depois de andar milhares de quilómetros em bicicletas durante o ano de 2010, o corpinho e a mente ficaram enjoadinhos de tanto dar ao pedal. Nesta altura do ano apetece é mesmo variar. Estávamos a pensar no Swing, mas ainda nos poderia calhar uma velha toda rugosa, com os lábios vaginais descaídos e presos por alfinetes, resolvemos não arriscar. Estávamos a desfolhar o mítico jornal do Lidl no banco do jardim, quando uma ventania desgraçada nos enviou direito a face um folheto informativo. Depois de termos dito uns palavrões ao vento, observamos o folheto e ficamos entusiasmados. Maratona de Lisboa 42 kms ou meia maratona de Lisboa 21,5 kms. Depois de ir à bruxa, resolvemos efectuar inscrição na Meia Maratona. Rapidamente pesquisamos na Rede como deveríamos efectuar os nossos treinos para a distância mais longa alguma vez feita a correr nos nossos 41 anos de existência. Todos os sites escritos por especialistas diziam “comam muitos Hidratos”. É lá!. Era mesmo isso que andávamos a fazer à um Mês. Borlas de berlim, feijoadas, muito pão com açúcar lá dentro, jarros de coca-cola, farinha pensal e palitos La Ren aos quilos. Em relação a treinos específicos de corrida, esqueçam lá isso. Correr só mesmo para loucos. Assim sendo, iríamos fazer a Meia Maratona de Lisboa sem qualquer treino a nível de corrida. Tínhamos esperança que os milhares de quilómetros feitos em bicicleta servissem para qualquer coisa. Com a chegada do dia, a motivação era muito pouca. Dava temporal e molhar o corpinho estava fora de questão. Mas para o mal dos nossos pecados, o dia acordou sem chuva e com uma temperatura quase de verão. “Já nos lixamos” pensamos nós e não nos enganamos. Depois de 2 bc´s e duas bananas no bucho lá partimos para o estádio 1 Maio. Estavam milhares de pessoas a participar e a ver a partida da Maratona. Apanhamos o Metro em Roma e fomos até ao Cais do Sodre. Descobriam-se todo o tipo de pessoas a bordo do metro a se dirigir para a linha partida da Meia Maratona. Às 10h30 deu-se a partida na Av. 24 de Junho. Como somos pintas, não efectuamos aquecimento. Quem aquece é um atleta de 2ªClasse. Nós somos duros. Geneticamente já somos sobreaquecidos e não precisamos dessas cenas parolas. Deu-se a buzina da partida e logo, mas mesmo logo, as pernas começaram a gritar. “Mau” pensamos nós. “Deveríamos ter engolido a caixa inteira de BCAS”. Os primeiros quilómetros foram desgraçados, mas como estávamos frescos, lá íamos na molhada a 12 km/h. De repente passa o Peregrino ao nosso lado esquerdo. O baril estava na Maratona e passou à abrir e já com 30 kms. “não é nada um bom indicador” pensamos nós. De repente passa o Ninja. “Foda-se, o que é esta merda?”. E para mal dos nossos pecados mortais, ouvimos o nosso nome varias vezes. “Força Bolacha”. O pior é que todos, mas mesmo todos passaram por nós a dizer o nome com um enorme sorrido na cara. “Bem, ainda falta muito. Vamos os apanhar mais lá mais para o fim” pensamos nós. O ritmo até aos 10 kms foi lento. De vez enquanto, quando fazíamos treinos remotos, corríamos 10 Kms em menos de 50 minutos sem qualquer dificuldade e agora em plena Mega Competição fizemos em 52 minutos. “FDX” isto está mesmo mau. Mas mau, mesmo muito, muito mau foi quando começaram a passar por nós gordas, velhos, crianças, paralíticos, desdentados, pernetas, manetas, gays, arrastadeiras, carrinhos de bebe, caracóis e pudins fla. Foi a pior vergonha de sempre. A auto-estima veio por ai abaixo e só pensámos na corda no pescoço. Como é possível gordas com cús de 100 kgs, velhos com mais de 80 anos cheios de peles descaídas e quase a morrerem, adolescentes com cabelo a tigela e super chupadinhos a correrem mais muito mais que nós? Foi mesmo humilhante. “Somos mesmo uns merdas”. Mas ainda não tinha acabado. A subir a Almirante Reis estavam milhares de pessoas a gritarem que nem loucas. As nossas pernas estavam todas FDX e não queriam andar. Ouvíamos ao longe “olha aquele desgraçado devia era estar no campeonato de Damas lá da sua rua”. Ainda ouvimos “olha aquele empenado, devia estar era a passar a roupa a ferro”. Muito, muito mau. Os quilómetros pareciam nunca mais acabar. A subida parecia um inferno. E as gordas com cus enormes continuavam a passar por nós. A vontade de parar era grande e por pouco não o fizemos. Já muito perto do estádio 1º Maio, milhares de pessoas saíram à rua para aplaudir os atletas. Passamos por eles quase em bicos de pés, tamanha era a doer em todos os sectores do corpo. E por fim a Meta. Ao fim de 2H09 tínhamos concluído a Meia Maratona de Lisboa. Se o objectivo eram as 2H , ficamos muito longe do mesmo. Depois de receber a Medalha por bom comportamento. Sim, porque não fizemos nenhuma rasteira às gordas de cus enormes que passaram por nós (bem pensamos, mas…), apareceram o Peregrino e o Ninja para nós azucrinar a cabeça. Eles fresquinhos e nós completamente torcidos. Nem conseguíamos estar direitos. Já sabem, se querem que a vossa auto estima desça consideravelmente, vão fazer uma Meia Maratona à maluca sem qualquer treino específico, ou mesmo sem qualquer treino. Vão ver como é bom pensar que uma corda no pescoço é bem melhor do que ser ultrapassado por milhares de gordas com cus enormes.
Classe Veteranos A: Posição 150
Geral: Posição 911
Tempo final: 2:09:04


sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

BTT à 60 Anos - Que Brutalidade

Quase que nunca colocamos maluqueiras feitos por outras pessoas neste blog. Mas este video tinha que ser colocado. É um filme de BTT com mais de 60 anos. Que brutalidades (em todos os sentidos) de imagens.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

MariaBolacha Rock Mix 48 - Energy ChillOut

Nova Remistura do DJ MBRemix.
Som ChillOut Electrizante vai-te por a Dançar, a Sonhar e a Amar a Vida
São 60 Minutos Intimistas
Só para TI



sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Roteiros Turisticos MB - Destino Aldeia do Pito

Escapadinha Fim-de-Semana MariaBolacha

Aqui sempre os melhores Roteiros Turistico

Destino: Aldeia do Pito - Porto Mós

Enquanto me encontrava numa conversa quente com duas giraças a caminho almoço, veio à baila a Aldeia do Pito. Quando se começou a falar desta alegre Aldeia, pensei que era uma aldeia tipo Aldeia Velha ou Aldeia da Luz. Uma simples aldeia onde os velhos se encostam às suas bengalas carregadas de lembranças e de aventuras, principalmente aquelas lembranças em que a bengala não funcionou e os neurónicos bateram na única pedra existente na única rua da aldeia. Mas afinal a Aldeia do Pito, é uma Aldeia escondida da sociedade perto de Porto Mós. A Aldeia é Subterrânea e os seus habitantes não eras Extraterrestres, mas sim Intraterrestres. São seres que nascerem e se desenvolveram no interior do planeta terra, se ver a luz. O porquê do Pito? Como todos sabem o Pito é a fonte da existência humana. È a fonte do renascimento. É a fonte da sobrevivência. É a fonte do Prazer Nunca ouviram falar em “Ontem foi ao Pito?”. A verdade é que muita gente já não vai ao Pito à muito tempo e também à muita gente que não lhe vão ao Pito. Tememos mesmo que essas pessoas já tenha associadas teias de aranhas ao mítico Pito. A Aldeia do Pito é o paraíso do Pito. Primeiro porque anda tudo com o Pito ao saltos, segundo, são Intraterrestres, ou seja nunca viram luzes e é tudo feito às escuras. Quem teve a felicidade de visitar esse patamar da evolução humana, pode ir ao Pito quantas vezes quiser, isto porque, além dos intraterreste serem tarados, nunca sabem quem lhes vai ao pito, porque está tudo completamente às escuras. Foi como vocês jogaram ao quarto escuro quando eram novos. Apalpavam tudo o que mexiam e eram apalpados e nunca sabiam quem era. Infelizmente nem todos os Intraterrestes tem Pito. Os que não tem Pito tem Apito, ou seja, tem um “cone” grande com um buraco na ponta. Alguns terrestres mortais que tiverem o prazer de conhecer essa Aldeia Intraterrena , enganaram-se e Apitaram algumas vezes. Se tiverem a oportunidades de apanhar a luz branca ao fundo do túnel com destino a Aldeia do Pito, já sabem, fechem os olhos (talvez não seja necessário) sintam o cheiro do Pito e mergulhem no prazer absoluto. Tenham cuidado com o Apito, quando o ouvirem, fujam a mil pés (não esquecer levar capacete por causa da escuridão). O custo da viagem à Aldeia do Pito varia entre uma paulada na cabeça, ou um tiro na nuca. Só tens acesso à Aldeia do Pito quando vires a luz branca ao fundo do túnel. Podes reservar a viagem em www.querolevarumapaulada.com. Para a semana sugerimos a viagem à Aldeia do Bico.
Tenham uma boa viagem e cuidado com as pessoas que gostam de passar a mão pelo pêlo.
PS: O Hitler foi fografado como uma bonita Intraterreste em 1950

terça-feira, 23 de novembro de 2010

24 Horas de Fronteira - Estamos Lá

As 24 horas de Fronteira estão à porta. Nada melhor que colocar o nosso Jipinho da lama para ver se ele se aguenta à bomboca quando fizermos aldeia Velha – Fronteira por trilhos no próximo sábado. Aproveitando as mega poças dos trilhso da Costa da Caparica fomos lá sujar o animal. Está previsto um espectacular fim-de-semana, com muitos trilhos á mistura, muita emoção nas 24h de Fronteira, muita agua pé, muitas sandes de couratos e muita risota. De certeza que teremos centenas de fotos brutais para mostrar.


segunda-feira, 22 de novembro de 2010

10.000 Kms de Bicicleta - Dia Historico

O dia 23 de Novembro de 2010 foi um dia histórico para um comum mortal como eu. Pela primeira vez na vida e com 41 anos de idade fiz 10.000 kms de bicicleta num ano (ainda não acabou). É um numero interessante, porque existem pessoas que nem isso fazem de carro.

BTT – 4173 Kms
Estrada – 2186 Kms
Treinos (rolo) – 2319 kms
Deslocação Trabalho:: 1307 kms
Corrida: 76 kms
Total: 10.061 Kms

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

MariaBolacha Rock Mix 47 - Rock Light

Mais uma espectacular mistura do Dj MB Remix
MB Rock Mix 47 - Rock Light
Rock mais comercial
Musicas do momento de bandas bem conhecidas.

SACA AQUI

1 - A Rocket to The Moon - Like We Used To
2 - Allison Iraheta - Dont Waste_the Pretty
3 - A1 - Caught The Middle
4 - Kris Allen - The Truth
5 - John Mayer - Back To You
6 - Lady Antebellum - Need You Now
7 - Bruno Mars - Just the Way You Are
8 - Angel Taylor -Like You Do
9 - Days Difference - Speakers
10 - Enrique Iglesias - Heartbeat (Feat. Nicole Scherzinger)
11 - James Blunt - Dangerous
12 - Kelly Clarkson - Already Gone
13 - Europe - New Love in Town
14- Bon Jovi - What Do You Got
15 - Daughtry - Life After You
16 - Taylor Swift - Today Was a Fairy Tale
17 - We The Kings - Well be a Dream
18 - Apollo Drive - Papercut


quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Maratona nas Urgencias Hospital Garcia Horta - Almada - 18NOV10

Estou com Gota ou com um Traumatismo? Depois de duas noites má dormidas, devido ao dedão Grande do Pé direito ter gritado toda a noite de dores, meti-me a caminho do Hospital Garcia da Horta , em Almada. Às oito horas e pouco minutos já lá estava. Estavam lá as velhas do costume que nunca sofrem de nada, mas tem cara de quem está a morrer. As cadeiras de rodas com antenas também predominam naquela zona. Os velhos de robe fazem passagem de modelo para as velhas. Os velhos pensam que é um bom local de ataque, porque as velhas estão vulneraveis. E estão certos. Já existiram dezenas de pré-casamentos encontrados na sala das urgências dos Hospitais. Depois ficaram por lá juntinhos numa maca até caírem para o lado. Entrei e fui ao guiché. Toma lá, quase dez euros de inscrição para teres direito em ir para a sala de espera cheia de vírus. O primeiro contacto com os homens de bata foi rápido. “Triagem” dizem eles. Agora é que sei o grande segredo dos hospitais. Tem que ser logo ai que temos que subornar o homem da bata. É ali que se joga o nosso futuro no Hospital. Devia-lhe ter levado um arroz doce ou uma par de meias ou mesmo um pijama da feira para que o homem da bata me tivesse dado a pulseira amarela, mas não, olhou para mim e disse “tem alguma coisa nos bolsos para mim?”, como não compreendi, deu-me uma pulseira verde. Como não pesco nada de hospitais, até me pareceu bem. Pensei “kolll, vai haver bar aberto”, mas afinal era só a pior pulseira que podes ter quando vais a um hospital. Com a pulseira Verde pertences a classe mais reles dos hospitais. És aquele que não interessa, és aquele que eles te vão convencer em desistir, de estar por ali. Sempre disse, desde que tenha um jornal para ler, vou estar contente por estar à espera. Das duas uma, ou o jornal tinha poucas folhas ou esperei muito tempo. Depois de ver velhos, novos, paralíticos, boazonas, cabeçudos e pernetas a entrarem antes de mim e que tinham chegado muito depois, passei-me da marmita. Levantei-me da cadeira onde estava à mais de duas horas e dirigi-me à mulher da bata às riscas. Exigi explicações. Como era possível estar ali à duas horas à espera sem ser chamado? Friamente os olhos da senhora desviaram para o meu pulso. Pensei “ És vesga ou quê?”. “ os meus olhos estão cá em cima”. Ela passados alguns segundos respondeu “O Senhor é verde, pertence a classe reles. Tem que esperar”. Filha do Pai da mãe e de mais umas quantas pessoas. Esperar ainda mais?. Foi-me explicado que enquanto existissem amarelos e outras cores, os verdes teriam que esperar. Este conceito aplica-se bem ao Sporting Clube de Portugal. Resignado, foi outra vez para o mesmo lugar. A cadeirinha até já tinha o formato da minha peidola e ainda estava quentinho. Esperei, esperei, tanto esperei que vi todos os programas da manhã das televisões portuguesas. A gaja do canal 1 continua goazona. Desesperei de novo. Com dificuldade lá consegui sair da cadeira. Estava mesmo coladinho. Dirigi-me de novo à mulher da bata às riscas e perguntei qual era a minha posição de entrada para o médico. Depois de consulta o PC do século passado, informou-me que era o próximo verde a entrar, mas que o anterior verde já estava no hospital à mais de 13 horas. “O quê” pensei eu. Parti a loiça toda. Queria ser amarelo. Comecei a distribuir “fruta” por toda a gente e passados alguns minutos foi recompensado com uma linda fica amarela no meu pulso. Estava todo contente. Tinha subido na hierarquia dos doentes dos hospitais. Até já me sentia melhor. Circulava com o pulso no ar a mostrar o meu troféu. Todos os verdes existentes na sala, olhavam para mim raivosos, cheiros de inveja. Tinha entrado no circulo de doentes importantes. Tinha o ego no máximo e estava radioso. Foi-me numa outra cadeira. Sim, porque a cadeira onde eu estava era da classe reles. Foi-me sentar ao pé dos amarelos. Estava à espera que chamassem brevemente o meu nome. Está quase, sim porque agora eu era um amarelo. Era uma pessoa importante. Os minutos foram passando e alguns amarelos foram chamados. Fiquei pensativo. “Será que existem varias classes de amarelos?”. Eu queria pertencer a classe mais importante dos amarelos. Contactei de novo a mulher da bata às risca, que me disse em tom gélido, você era verde e passou para a amarelo e agora está no fim da lista dos amarelos. Filho do Pai e da Mãe e dos outros familiares todos. Afinal tinha sido demitido de ser Rei dos Verdes, para passar a ser o Pobre dos Amarelos. Sem mais, dirigi-me á primeira porta de saída das urgências do Hospital, fiz um manguito a todos e regressei à minha vida banal com uma dor enorme no dedão grande no pé direito. Estou com Gota ou com um Traumatismo? Nunca saberei , porque só voltarei às urgências de um Hospital quando já estiver morto.


quarta-feira, 17 de novembro de 2010

1ªJornada Campeonato Andebol Inatel

As peles já começam a aparecer, o mastro já não se levanta a 100%, já se vai à casa de banho cinco vez por noite, os cabelos brancos teimosamente estão a surgir, mas Carago a Veia Competitiva ainda cá anda. Mais um Ano, mais um Campeonato de Andebol no Inatel. Depois de 23 anos federado nos principais escalões da modalidade e 7 anos a jogar no campeonato do Inatel, o jeito e a forma física ainda está lá. Ontem num ameno jogo de Andebol, porque o adversário não era forte, mais 9 golos para a conta pessoal. Foi o primeiro jogo numa nova equipa e correu muito bem. O resultado Caneças 34 Banco Portugal 8. Foram belas sensações, mas o mais impressionante depois de jogar 60 minutos a ritmo elevado, o corpo hoje não tem qualquer tipo de dor. Viva os BCAS. Ups não se pode dizer isto muito alto, porque o pessoal do Andebol pode pensar que é doping.


sábado, 13 de novembro de 2010

MB Rock Mix 46 - Rock Rain

Mais uma grande mistura do DJ MB Remix.
Desta vez o nome da Mistura é dedicada à chuva que cai lá fora, às lareira acessas e as conversas acompanhadas de um copo de vinho.
Grande musica de Rock.
Saca Já


1 - Disciple - Lay My Burdens
2 - Throwing Gravity - Missing You
3 - The Used - Born To Quit
4 - Nothink - Era
5 - Story Of The Year - I'm Alive
6 - Carolina Liar - Show Me What Im Looking For
7 - Seabird - Don't You Know You're Beautiful
8 - Papa Roach - Kick In The Teeth
9 - Alpha Rev - Phoenix Burn
10 - Dark New Day - On My Way
11 - Lansdowne - Watch Me Burn
12 - 12 Stones - Broken Road
13 - Shamans Harvest - Dragonfly
14 - Small Mercies - Beautiful
15 - American Hi-Fi - Lost
16 - Green River Ordinance - Come On
17 - Mission Hill - Crazy
18 - The Pennyroyals - White Noise


quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Projecto Fotografico MST - Fotografia Autor

Hoje deixamos talvez a melhor imagem do Projecto MST. Já temos varias imagens que consideramos com qualidade. Esta imagem em especial toca-nos. Tem uma grande componente emocional. Será que a criança está a nos dizer que é feliz ou que nos está a pedir para a levarmos. Qual será o seu pensamento? Aquele olhar, aquela expresão. Sentimos por momentos que fizemos parte da sua vida. Sentimos que ali existia qualquer coisa que não estava bem. Olhem bem nos seus olhos e digam se não é perturbador? Esta imagem deixa-nos entregues ao imaginário. 

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

MB Rock Mix 45 - Rock Ballads

MB Rock Mix 45 - Rock Ballads
Mais um Grande Remix MariaBolacha
Grandes Baladas por Grandes Bandas Rock Moderno

1- Hoobastank - The Reason
2 - Red - Start Again
3 - Danger Danger - Never Give Up
4 - Saliva - Going Under
5 - Shinedown - Second Chance
6 - Cavo - My Little Secret
7 - 3 Doors Down - Here By Me
8 - Plan Three - Brush It Off
9 - Lifehouse - Broken
10 - Adelitas Way - Last Stand
11 - Default - Little Too Late
12 - Cold - Tell Me Why
13 - Theory Of A Dead - Not Meant to Be
14 - Rev Theory - Ten Years
15 - Nickelback - NI'd Come For You
16 - Gavin Rossdale - Love Remains
17 - Burn Halo - Too Late to Tell You Now
18 - Breaking Benjamin - Give Me A Sign



Foto-Report 25/26/27 Etapa VPBTT Sendim - Bragança - Chaves - Salto


A Verdadeira Historia da Conquista do 3 canto de Portugal e das duas Facadas no Dragão Chinês.

Tudo o que ouviram ou viram é pura treta.
Protagonistas desta verdadeira historia
Bonnie (Isabel) e Clyde (Domingos) Pais do Ricky Rock
Os Irmãos Dalton, Joe (Ricky Rock) , Jack (Peregrino), William (Bonga) e Averell (JorgeMariaBolacha)
Lucky Luke (Trufox) e Rantanplan (Serrano)
Prologo
Bonnie e Clyde depois de ter gamado uma caixa de multibanco com uma retroescavadora ali pros lados da Amareleja, tentaram meter a dita caixa dentro do seu carro mítico de assaltos. A Seat Alhambra teve que ir ao serralheiro cortar o tejadilho para que a caixa foi-se transportada até ao ninho do amor do casal. Quando chegaram à sua vivenda no Miratejo, já todo o Oeste sabia da sua façanha. Todos os Cromos Mega Ladrões do Oeste ficaram cheios de Raiva da façanha. Os Irmãos Dalton reuniram-se de imediato na sala de reuniões da sua empresa ASSALTOS Á PAULADA, SA. Joe a bufar pela boca e vermelho com um tomate, pegou na mão que estava mais ao pé e deu um murro na mesa e disse chega. A culpada era do Jack que sofria de Flatulência (peidos). Era impossível. O Peido enviado pelo traseiro de Jack era avistado a mais de 1538 metros. Averell propôs mesmo que o Jack fosse o embaixador dos irmãos Dalton junto dos Índios. Assim podiam comunicar via fumo/peido. Enquanto William preparava a bisnaga para o próximo assalto ao comboio das 12H35 que vinha de Tomar, Joe continuava entomatado. Estava piurso com a fama de Bonnie e Clyade. Joe queria que os Irmãos Dalton fosse os mais famosos ladrões do Oeste e não sabia como. Averell do seus dois metros e três centímetros sacou de um pedaço de papel do bolso que tinha uma cruz e começou-se a assoar. Jack aproveitou e deu outra bufa. Joe deu uma canelada a Averell e tirou-lhe o pano do nariz. A ranhosa estava mesmo no local da cruz. Joe lembeu o amarelo e a cruz ficou à vista. É um mapa de tesouro disse Joe com olhos esbugalhados. Averell disse - É uma embalagem do chipicao. William disse - É um desenho de Picasso. Jack não disse nada e bufou-se outra vez. Os três rapazes não aguentaram mais. Foram à Mega Loja dos Chineses em Coina e compraram quatros mascaras de oxigénio. Jack tinha comido quatro barras energéticas fora de prazo e estava insuportável. Na mente sempre mafiosa de Joe a cruz indicava a cidade de Sendim como sendo o sitio do Tesouro. Como tinham gasto todo o dinheiro nas mascaras não tinha dinheiro para o transporte. Averell ainda propôs irem de E-Mail, mas a ideia pareceu um pouco idiota para os outros irmãos. William propôs uma aliança com Bonnie e Clyde. Mandaram um pombo correio com uma mensagem, mas o pombo ficou chumbado quando passou por um grupo de caçadores. Optaram pelo telemóvel e enviaram um SMS. Os ladrões do Multibanco concordaram com a parceria e partiram todos para Sendim.
Quem se riu com a situação toda toda Lucky e Luke e o seu cão Rantanplan. Tinha colocado umas escutas telefónicas e agora sabia todo o plano dos ladrões mais procurados no Oeste.
Pegaram no seu carro comercial branquinho e também partiram para Sendim pela auto estrada A1. Como não tinha Identificador de Matricula para passar na Scut e como foram multados, Lucky Luke mandou o Rantanplan fizer uma mija nas calças do senhor agente e dizer uma grande Toma Là.
Todos chegaram a Sendim depois de muitas horas de viagem a ouvirem a famosa musica da Veríssima.

Sendim – Bragança

Depois de dormirem todos à molhada, o despertador tocou e todos de imediato fizerem a dança da chuva. A verdade é que resultou. Da janela do hotel da Junta Freguesia de Sendim, via-se um mar de gotas de água a caírem de um céu cinzento cheio de nuvens assustadoras. Lucky e Luke e Rantanplan tomaram o pó da invisibilidade e dormiram junto dos irmãos Dalton e do casal famoso que eram uns grandes malucos nas cenas dos assaltos. Rantanplan para justificar o ser Cão, dormiu em cima de uma mesa e uivou toda a noite. O Averell tinha gamado um chapéu de palha a uma velha, quando assaltaram um barracão no Alentejo. Com a sua peúga dos smiles, mas o chapeuzinho da vovó, entrou no café e colocou logo a arma de fora. Joe, Jack e William também também meteram a cena de fora e logo ali gamaram quatro cafés e dezassete croissants com creme. O Presidente da Junta Jesse James informou via telex que o tesouro teria sido mudado de cidade pelo Jack Sparrow. Encontrava-se dentro do barco na baia de Bragança. Joe, vermelho como um tomate, mandou uma cabeçada no seu próprio joelho e ordenou que Jack se abrisse à grande na cara de William. Este por sua vez passou a mensagem ao Averell, que colocou o cheiro dentro de uma carta e enviou à sua amada que se encontrava em Monsanto a fazer pela vida. Os Irmãos Dalton pegaram nos seus cavalos e meteram-se a caminho de Bragança. Lucky e Luke estava à espreita dos Dalton por detrás de um sinal de Stop. Rantanplan nessa altura estava um pouco confuso com a sua identidade. Estava sempre a dizer para si próprio e em voz alta “Sou um Cão”, “Sou um Cão”, “Sou um Cão”. Os cavalos dos irmãos Dalton tinham sido ferrados com suspensões totais e alimentados a BCA´s. Farinha Pensal trazida por Jack da Jordânia também fez parque da alimentação dos canídeos de pernas altas. Enquanto conquistava montanhas altíssimas com alturas a rondar os 98.000 pés, Lucky e Luke e o seu cão baralhado também perseguiam o trilho a todo o gás. Existia duas maneiras de perseguir os Irmãos Dalton. Ou pelo cheio largado por Jack, ou pelo faro apuradíssimos do Rantanplan. O baril meti o nariz no chão, olhava para a frente e dizia “Eu Sou um Cão” e seguiam caminho. Os trilhos serpenteavam montanhas e vales. Avistava-se aldeias fantasmas que foram abandonadas quando o ouro desapareceu. Cheirava-se o ar puro do campo e o odor a lenha queimada. Percorria-se estradas milenares e atravessava-se pontes romanas. Averell ainda gritou que tinha visto o Asterix e o gordo do Obelix, mas William com a sua calma disse que esses dois eram ficção. Que eram apenas dois bonecos animados reproduzidos em papel. Averell disse “está bem, passa ai a manteiga ”. As cores dominantes eram o laranja e o amarelo. Tudo era lindo, apesar da chuva forte a bater nas trombas dos Irmãos e nas suas montadas. Durante uma parte do caminho, Averell, Jack e Rantanplan ficaram baralhados e juntaram-se numa adega do maior mafioso da região. João Bafo de Onça, tinha uma jeropiga fantástica. Colocou uns bolinhos e também ofereceu café. Enquanto Lucky Luke estava no médico e Joe e o William estava a penar para subir uma subidita de dois quilómetros, a tripla estava a mandar a baixo uns shots de jeropiga. Ao fim de 82 kms de pura adrenalina e sem qualquer dificuldade física nos cavalos chegaram à Baia onde estava o barco do Capitão Jack Sparrow. Joe mandou parar o cavalo. O cavalo parou. Mas como não estava a segurar as rédeas, saiu disparado, acabando por bater num carro dos bombeiros que o levou directamente para o Quartel. Os outros irmãos acharam uma ideia espectacular e fizeram o mesmo. Borregos. Ainda antes de Bragança, lá para Trás-dos -Montes, ainda se ouvia bem alto “Sou Um Cão”. Rantanplan e Lucky Luke tinham-se atrasado porque fizeram uma paragem em Quintanilha para irem ao veterinário. Afinal quem foi à consulta foi Lucky Luke. A dor era tanta que o medico teve que lhe receitar uns comprimidos para a tose para que o cowboy mais rápido do oeste conseguisse chegar a Bragança. Não foi fácil, teve mesmo que abdicar da palhinha na boca. Sem saberem, os maus e os bons ficaram alojados no mesmo motel na cidade de Bragança. Tinha uma linda vista para a Baia e estava cheio de Brasileiras. Depois de um banho dois a dois em que ninguém abdicou de ter a pistola no coldre, sabe-se lá porque, foram visitar a cidade mais a Norte do Oeste. Foram à feira Medieval da zona e jogaram ao “quem gama mais castanhas”. Averell sempre pensou que eram rebuçados de Coca-Cola Russa e meteu dois quilos bolsos. Joe mostrou a sua façanha no pião. Ele tinha sido o campeão lá da sua rua no ano 300 antes de Cristo e acabou por fazer uma exibição espectacular, marcando dois golos na própria baliza e mandando duas boazonas podres da boas para o hospital com a próstata partida. A noite é amiga e assim sendo juntaram-se os Irmãos Dalton, o Lucky Luke, o Rantanplan, Bonnie e Clyde à mesma nessa. Rantanplan apercebendo-se de uma cadela giraça nas redondezas, mandou-lhe logo um Toma Lá e gritou bem alto “Sou um Cão” “Preciso de dois ovos estrelados” Nasceu um novo amor para aquelas bandas. O Sino tocou e a carruagem estava prestes a tornar-se em abóbora. Todos correram para a sua caminha e colocaram os tampões. Enquanto Jack abria-se dentro dos lençóis e metia o nariz lá dentro, pela noite dentro, ouviu-se bem alto milhares de vezes a frase “Sou um Cão”.


quinta-feira, 4 de novembro de 2010

MB ROCK MIX 44 - Covers Rock

Saca já mais de uma hora de Covers Rock tocadas pelas melhores bandas do mundo do Rock, misturadas pelo DJ MB Remix


segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Volta a Portugal Em BTT - 25ª 26ª e 27ªEtapa - 30,31OUT e 1NOV 10

Está na altura de conquistar Trás-os-Montes em bicicleta de Montanha. Está na altura do corpo pedir um grande desafio. Está na altura de 3 dias de puro e duro BTT. Está na altura de alcançar a Liberdade absoluta.
Na 25ªEtapa da VPBTT, faremos a ligação de Sendim a Bragança num total de 85 kms. Na 26ªEtapa a ligação será de Bragança a Chaves numa distancia de 115 kms e na 27ªEtapa ligaremos Chaves a Salto, numa distancia de 65 Kms. O cartaz não está correcto. Tivemos que fazer ajustes no Track. Vai ser Mega Brutaºl em todos os sentidos
Podem descarregar o Track em versão Google Earth AQUI

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Projecto Fotografico Metro Transporte do Sul

Depois de varios anos parado na area da fotografia, voltou o "bichinho" ao JorgeMariaBolacha. Nada melhor que ter um projecto de autor à porta de casa. Como o baril gosta de comboios, apostou num trabalho fotografico ao longo da linha do Metro Transporte do Sul. O  Projecto, está mesmo, mesmo no inico. Ainda se anda a estudar os angulos, a melhor hora para fotografa e principalmente sentir o ambiente. Neste momento ainda se depara um pouco ao acaso. Ficam aqui as primeira fotos do projecto. Dificilmente estas vºao ser as 30 finalistas, mas foram as primeiras. Não são fotografias de estrutura classica, mas sim com enquadramentos desiquilibrados e arrastadas. O objectivo é criar fotografias cheias de movimento, que tentam reproduzir a velocidade louca que são vividos os momentos nos transportes publicos.





quinta-feira, 21 de outubro de 2010

MB ROCK MIX 42 - 60 Minutos de Puro Rock

MariaBolacha apresenta MB ROCK MIX 42.
Rock Misturado pelo DJ MB Remix. 60 minutos de Puro Rock Moderno.
Mete o som no Maximo e curte como ó caraças


PlayList
Disciple - Remedy
Prospect Hill - Reflections
Airbourne - No Way But the Hard Way
The Veer Union - Darker Side Of Me (Acoustic Version)
Silversun Pickups - Growing Old is Getting Old
Alpha Rev - Phoenix Burn
Hoobastank - Running Away
Bullet For My Valentine - A Place Where You Belong
Three Days Grace - World So Cold
30 Seconds to Mars - Closer to the Edge
Cavo - Let It Go
Shawn Fisher - Open Your Eyes
Stanfour - Tired Again
Eldebrock - Release Me
Tickle Me Pink - Strange Life
Theory Of A Deadman - All Or Nothing
Daughtry - Life After You
The Februarys - Rock And Roll's Enemy
Smile Empty Soul - Alone With Nothing
MB Rock Mix 42

terça-feira, 19 de outubro de 2010

OneShot 400Kms Ciclismo - Data já Definida - 7 MAIO 11

Já está definido a data do OneShot 2011.
7 MAIO vamos entar bater o record de kms só num dia em cima de uma bicicleta.
400 kms no percurso Almada - Lagos - Vila Real santo Antonio
Quem está para ai virado?
Quem tiver para ai virado, comece desde já a dar purrada na mulher, para que esta não te dê uma paulada depois de lhes dizer o que vais fazer.
Siga .....

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Rescaldo Xeque à Torre 16OUT10

Xeque à Torre
184 Kms
7h47m
23.7 media
3350m acumulado
Canhestro - Seia - Sabugueiro - Torre - Covilhã - Unhais da Serra - Vide - Avô - Coja - Canhestro

Numa linda sexta-feira no dia 15OUT10, Sete Anões: Atchim – (Remi), Dunga (Pão Mole), Dengoso (Rik Rok), Feliz (Peregrino), Mestre (JMB), Soneca (Guedes), Zangado (Noddy), mais a Bela Adormecida (Lena) e a Super-Mulher (Filomena), juntaram-se numa pequena Aldeia chamada Canhestro.
Andavam todos zangados uns com os outros, porque o Mestre os obrigou a trabalhar no duro na Serra mais alta de Portugal.
A Bela Adormecida disse logo que não podia, porque tinha pintado as unhas dos pés de vermelho e não queria borrar a pintura.
O Zangado, disse logo que era uma grande oportunidade de vingança e o Soneca ia para aproveitar para dormir no Sabugueiro.
O Atchim apesar de estar constipado levantou o dedo.
O Feliz está sempre presente e teve medo de levar porrada da mulher.
O mafioso Dengoso sempre com as suas negociações lá foi.
O Dunga como não percebeu bem a coisa e arriscou.
A Super-Mulher está sempre pronta para a aventura.
Todos, lá pegaram todos nas pás no dia 16OUT10 e foram a assobiar a cantiga do bandido pela floresta encantada. Calma, todos não. A Bela Adormecida ficou na torre do castelo à espera que o Shrek a viesse beijar e a transforma-se num sapo.
Depois de um belo pequeno-almoço à inglesa, como a típica banana e a Farinha Pensal, todos pegar no seu objecto de trabalho e partiram para a Serra da Estrela.
A manhã estava fresca e o sol a nascer. Todos partimos juntinhos e durante muitos quilómetros foi assim. Todos cantavam e brincavam. Até que o Soneca achou que uma subida com 0,000000069% de desnível era demasiado para ele e deixou-se ficar.
O Atchim com gosta muito dele furou de propósito para que o Soneca pode-se apanhar o grupo. Mas o baril tinha tomado um RedVaca e passou pelo grupo a 299 VC (velocidade caracol). Só o apanhamos na subida de Seia.
Foi em Seia que os anões se chatearam e formaram vários grupos. Julia Pinheiro ainda os chamou ao confessionário para tentar saber o porque da zanga, mas todos estavam concentrados em chegar à Torre em primeiro lugar.
Zangado, Atchim e Mestre tomaram a dianteira, logo de seguida pelos restantes Anões. Soneca ia aproveitando para por o Sono em dia em cima da bicicleta. As subidas era longas e muito acentuadas, mas a farinha branca de neve narinada ao pequeno almoço estava a dar resultados. A placa do sabugueiro apareceu e fez-se a festa da cadeira.
Existia uma cadeira a menos para a quantidade de pessoas. A musica tocou e quando acabou, todos à porrada para conseguir um lugar. Afinal foi o cão que ficou sem cadeira, porque um dos participantes ficou ao colo de outro. Estranho.
Assim que seis dos anões chegaram, mais a super mulher, cagaram no Soneca e partiram. Soneca tinha dito que iria dormir duas horas no Sabugueiro e depois iria tentar a sua sorte numa casa de luz vermelha em Espariz.
Do Sabugueiro até à Torre era cada uma por si. Todos meteram todo o material que tinham. Um do Anões testou talvez o método mais surpreendente de todos visto em ciclismo. A técnica da Malagueta no traseiro. E olhem que resultou durante um bom bocado, mas a malagueta acabou e o rapaz anão também baixou o ritmo.
Zangado e Mestre deixaram Atchim para trás e lá foram os dois a puxaram até quase, quase á meta. Zangado de tanto ter sofrido nos últimos tempos com o Mestre, queria inverter as situações. Queria ser ele o Mestre na Torre e passar o nome de Zangado para o Mestre. Zangado, caladinho, a um quilometro da torre acelerou o ritmo em um quilometro e o Mestre pensou “este já me F#%%$%”. Mas como era o Mestre que tinha a chave do carro, Zangado esperou 15 segundos por mim na rotunda que dá acesso à torre, porque senão já sabia que tinha que vir a pé até à quinta do Conde.
A subida final foi feita a em parceira, mas o Zangado queria mesmo a taça e ganhou por cinco segundo. O Zangado passou rapidamente a hiper feliz sem qualquer sofrimento estampado na cara. De seguida apareceu o Atchim a cinco minutos, depois o Dengoso a dez minutos, Super Mulher e Feliz a quinze minutos e por fim o Dunda a deitar fumo da junta da cabeça a trinta minutos.
Dunda até tinha mesmo pensar em fazer o memo que o Soneca. Ficar a relaxar na Torre e voltar para a casa cogumelo no Canhestro, mas os outros anões lá dos seus dois metros e dezoito disseram logo “nem pensar, precisamos de alguém que empeno a serio. Assim fica fácil para nós”. Dunga não deve ter ouvido bem e deverá ter percebido “ força amigo, estamos aqui para te apoiar”.
A descida da Torre à Covilhã foi o pior empeno deste dia. Estava um frio do caraças e nem a mantinha com a renda nas bordas, serviu para cortar o frio nas bolas. A descida tinha a percentagem de 10% de inclinação e o pescoço ficou com o grande empeno.
Mestre é um paralítico a descer. Quando chegou à Covilhã já os outros Anões tinham crescido quatro centímetros cada um.
Estava previsto almoçar umas farófias em Unhais da Serra. A distância era curta, mas sentíamos que era a subir. Mas com mais um pouco de farinha pensal e da outra, chegamos sem qualquer problema.
Todos os anões se questionavam se estavam em Portugal. A beleza de Unhais da Serra é parecida a uma Suiça ou a uma Brandoa. Parecem quadro pintados por pessoas conhecidas como Miguel Antonio, ou o ainda mais conhecido o mestre da pintura francesa Pica-Miolos.
Nada melhor que Proteína para o almoço. Dunga teve a sorte de ter uma mosca na sopa e fez toda a diferença. Ficou louco e fez o resto em versão Super VC (Super Velocidade Caracol).
O sol estava forte e soube bem ver umas velhas anõas no Restaurante. Tantos quilómetros sem ser ninguém e aguma aquelas beldades mesmo à nossa frente.
Atchim sentia que deveria atacar ali. Bela Adormecida tinha ficado à espera do Shrek e tentou a sua sorte com uma bela anõa de cabelo louco e com botas à cavaleira. Mas esta estava mais interessado no Feliz, que por sua vez viu a Super-Mulher a mandar-lhe uma chávena de café à cabeça com colher incluída. Ficou com a mesma espetada no meio dos olhos. A partir desse momento ficou com mais um nome no Bilhete identidade (Feliz Unicórnio, 35 anos, 23 centímetros de altura, sexo indefinido).
Todos estávamos à espera com alguma ansiedade da parte Unhais da Serra até à Serra do Açor. Era uma longa subida. O treinador do Mestre disse logo “a tua missão é levar os que estiverem com o coração na boca até ao topo da subida”.
Apesar de vários ataques de anões importantes, com do Atchim, Dengoso e feliz, não tiveram muita possibilidade de sucesso. O pelotão controlou-os à distância com o seu comando da TV e pouco depois o grupo estava de novo reunido.
Chegaram ao fim da longa subida quase em pelotão compacto. Quase porque a Super-Mulher, passou de Super a Mulher com Trauma de Joelhos e acabou por ficar para trás. Na descida de 17 quilómetros, que era simplesmente espectacular, de novo Zangado, Atchim e Mestre, fizeram fila indiana e dançaram a dança da chuva, porque o calor era muito.
Rapidamente apareceu uma cadeirinha ao sol em Vide. Era o penúltimo ponto de paragem. Mais umas snifadelas no pó talco e siga. Todos pensavam que a parque final, que era plana, iria ser calma, mas a verdade é que existiu um complô.
Os anões escravizados pelo Mestre à anos, tentaram a revolta. Queriam o Poder, queria o Trono. Todos atacaram e bem o Mestre (excepção para o Dunda e para a Super-Mulher) esses era do partido do Mestre.
Todos atacavam à vez o Mestre à seria. Primeiro o Feliz, depois o Dengoso, depois o Atchim, depois o Zangado, depois o Atchim, depois Dengoso, depois o Feliz, depois o Zangado, depois o Atchim, depois o Zangado. O Mestre já estava tonto. Teve que dar um risco em pleno andamento e acabou por ficar com a cara toda com farinha branca. Acabou por colocar um nariz vermelho e foi fazer uma matine a um colégio em Avô.
Com tantos ataques alguns dos Touros viraram Cordeiros ao fim de algum tempo. Feliz depois de dois ataques, veio com a desculpa que tinha que ir ter com a Super-Mulher. Dengoso atacou tanto que se atacou a ele próprio. Fazia ataques de vinte centímetros e depois acabava a gasolina. Também veio com a desculpa que correu mal em tirar a caixinha de comprimido da camisola de renda que a mãezinha lhe tinha feito para esta aventura espacial.
Só ficaram com gasolina o Zangado, o Atchim e o Mestre, mas com CAb&#$&%&R$ do Zangado e do Atchim continuaram a atacar o Mestre. Queriam mesmo o poleiro. Em cerca de quinze quilómetros atacaram doze vezes à vez. Mas o Mestre aguentou sempre firme a todos os ataques e ainda disse “vejam lá se também não ataco e vocês ficam pregados ao chão”.
Mas como a missão do mestre era de manipular a oposição, ofereceu aos dois, cargos de administradores em cinco empresas diferentes e ficou também a promessa de uma reforma de 50.000 euros mensais para cada um.
Os anões traidores lá se convenceram e vieram calmos até Coja.
Em Coja, paramos mesmo em frente a um Bar do Fumo. Enquanto esperamos uns pelos outros, fumamos umas cenas e atiramos umas pedras às motas que passavam. Faltavam oito quilómetros, mas como em qualquer grande clássica, tinham que passar pela parte do Pavê.
Com umas subidas acentuadas em Pavê as pequenas pernas de alguns anões gritavam. “socorro, tenho os joelho a tocarem-me nos tornozelos”. Mestre pensou “que cambada de anões que tiraram a quarta classe à noite. Não percebem que são anões? Os joelhos estão mesmo junto aos tornozelos”.
Ao fim de quase oito horas úteis em trabalhos forçados, chegaram a casa cogumelo no Canhestro. Bela Adormecida foi apanhada no carro com o Soneca. Felizmente para Atchim que este estava a dormir. Depois de um banho, para alguns quente e para outros frio (tiveram que tiram à sorte, só existia lenha para quatro banhos), foram directamente para o jantar final de curso. No fim todos mandaram os chapéus Pretos para o ar e gritaram até para o Ano.
Obrigado a todos os Anões presentes, à Bela Adormecida e a Super-Mulher
Qualquer semelhança entre a realidade e este texto é a pura da verdade, ou não.
Aguenta a Pressão …..
Mais fotos aqui

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Rescado 24 Horas Jamor 18 e 19SET10

A Equipa Portugal Vintage Race Bike com os seus Atletas de Top ( Ricardo “Vintage” Nunes/FunRide; Ricardo Cascão (Ricky Rock) e JorgeMariaBolacha) estiverem nestas inesquecíveis 24horas do Jamor.
Depois de andarem anos a treinar para a mais popular e também mais desorganizada prova de 24 horas de Btt em Portugal. Depois de colocarem os anéis e colares caríssimos da Velha no Prego, para poderem fazer uma revisão caseira na bicicleta, estava na hora de pegar no Automobil Vintage e partir para o Jamor.
O acampamento era um espectáculo. Era o Woodstock das Bicicletas. Senti um arrepio na espinha de felicidade quando vi o acampamento.
Eu nasci em 1969 e fiquei sempre com um trauma por não ter participado no Woodstock.
Mas agora sim, estava realmente a viver o meu Wosdstock.
Foram 24 horas de loucos. Começamos a meter uns BCA´s para entrar no espírito. Quando começaram a bater, sentimos a necessidade de beber.
Bebi tanto Shots Isostar que foi ao “Gregório” varias vezes.
Como as casa de banho estavam longe, foi mesmo para cima das tendas. Senti-me mesmo bem. A onda Woodstock estava lá.
Epá o que eu curti foi quando tinha vontade de urinar. Estava mesmo à rasquinha e era logo ali. Que liberdade.
Depois de meter mais uns ZMA´s e mais umas cenas que deram de surra (sim porque policia não faltava neste espectacular evento e era necessário cuidado), alguém gritou ao microfone para irmos dar uma volta de bicicleta. Era o auge.
Todos vestimos a licra, rapamos os pelos e metemos mais um balde de proteínas pelo bucho abaixo. Sinceramente adorei da imagem de todos irem a correr que nem louco por ai a baixo com a sua licra e os sapatinhos de tacão, durante 300m.
Era a pura da euforia. Só no Woodstock das Bicicletas é que poderíamos ver uma coisa destas.
Adorei quando passamos no riacho a cheirar a “pasta” de boi. Só és um Woodstock MEN, tens que te mandares de cabeça para o riacho cheio de vírus pulguentos e com “castanhos” a boiarem.
Carago, senti-me mesmo entranhado no espírito Woodstock. Eu e mais centenas de pessoas. Estava eufórico. Cada vez metia mais BCA´s e Fast Recover´s. A minha cabeça andava a mil e as pernas a dois mil. Já estava tontíssimo de andar ali. Era sempre a volta. Precisava de comer. Disseram que existia uma barraquinha pequenina com um esparguete com massa grandioso. Era mesmo do que estava a precisar. Depois de andar no empurranço para chegar à frente, eis que o tão desejado prato é colocado na mãos. Brutalissimo. Nunca tinha comida uma coisa tão diferente. Graças a Deus que o Woodstock das Bicicletas existe.
Estava na hora de mudar a estratégia porque os concertos iriam começar, mas antes tinha que tomar um banho. Mas como era tão longe o sitio, agradeci à organização por assim ser, porque assim continuava no espírito Woodstock (Javardo da cabeça aos pés e a cheirar a cavalo).
Os concertos começara e meti mais uns speeds. Três doses de Endurance Drink da Isostar. Aquilo é que foi curtir o som. Gostei das bandas. A serio. O som era fantástico. Continuem pá.
O que estranhei é que ainda continuava malucos de licra a andar de bicicletas com coisa esquisitas nas rodas. Eu bem disse que era só 2 BCA´s e não a caixa toda.
Olhávamos para o chão é a alegria de ver milhares de garrafas espalhadas pelo chão era uma satisfação magnifica.
Não eram só garrafas, também as caricas lá estavam e outras cenas.
Ainda bem que o Woodstock não existe controlo de Calcio, Sodio, Cloreto e biocabonato, ao sangue.
Se não era a desgraça. Estava tudo passado da marmita. Existam pessoas que ingeriram essas substancias ás toneladas
Depois dos concertos, veio uma novidade da organização. Jogar ao Acampamento Escuro. Foi a loucura. Penso que existiu algum aproveitamento de algumas pessoas. Lá por ficar escuro, não temos que fazer batota, andar no apalpanço e gamar os Hidratos de carbonos do vizinho.
O nascer do sol é sempre um grande momento no Woodstock. Tudo de ressaca. As olheiras são mais que muitas. Gosto especialmente da mantinha em cima das pernas. Dá uma ar de ternura. Faz-me lembrar a muita avó.
Estávamos no fim.
O recinto fechava às 12 horas, mas alguns ainda em estado tão desgraçado, só abandonaram o recinto mais tarde.
Estava tristíssimo. O Woodstock das Bicicletas estava a acabar. Foi uma das coisas mais fixes que fiz na minha vida.
A organização esteve impecável. Conseguiu incutir o espírito “tudo ao molho e desenrasca-te se tiveres problemas”.
Se assim para o ano estou lá para mais um grande Woodstock das Bicicletas.
Queria agradecer do fundo do coração (este agradecimento é serio)
À ISOSTAR, essa grande bebida que me permitiu estar sempre “regado” durante o Woodstock
À Policia, apesar de ter tomado carradas de substancias ilegais, por ter cuidado de mim.
Aos meus amigos que encontrei por lá. Todos cheiravam a “cavalo”. É esse o espirito Pá.
Agora já se podem chamar de Woodstock MEN
Queria agradecer também ao ProjectoBTT. Por sem vocês não seria possível realizar o meu sonho.
Foi o meu primeiro Woodstok das bicicletas de muitos …..
Até para o ano no WoodStock das Bicicletas 2011
Classificação do JorgeMariaBolacha
Só andou de dia. A noite foi para jogar ao Campismo Escuro
34ª Lugal Solo 24h
189.5 Kms com 3650m acumulado

http://www.metadigital.com.pt/services/data/1/5/generalClassifications.html
http://www.metadigital.com.pt/services/data/1/5/individualClassifications.html

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

24 Horas BTT no Jamor - 18 e 19 SET 10

Andávamos por ai aos caídos pela Brandoa sem nada para fazer. Estávamos aborrecidos. Estava mesmo apetecer apalpar umas velhas e ver como estavam as teias de aranha, mas em vez disso apareceram uns putos com uns ferro nos dentes. Está na moda de certeza andar com ferros em todos os sítios. É nas orelhas, na língua ou na vagina. Carago, ainda no outro dia tive que ir gamar um alicate no Mini Preço para retirar um ferro nos lábios vaginais de uma gaja. Isto de querer ir ao Pito em vez de andar com preservativos, temos que andar com a caixa das ferramentas. Os putos tinham a mania que eram pintas, mas aplicamos o método eficaz do Dum-Dum a cheirar a Alfazema e pronto, metemos os putos a dormir. E não é que os baris tinham umas entrada para as 24horas de BTT no Jamor. A maior prova mundial do empenanço. Fomos logo para uma casa de recuperação em drogas duras, deixamos de fumar e começamos a dar nas Proteínas e nos BCA´s. No próximo sábado a partir das 12h e até domingo às 12h vamos estar no Jamor em versão morto-vivo. Vivo nas primeiras horas e depois morto nas restantes horas. Se queres ver um ambiente espectacular e apoiar a equipa MariaBolachaProduções/Portugal Vintage Race Bike/ Projecto BTT aparece no Jamor este fim-de-semana. A Equipa são três Elementos a Solo. JorgeMariaBolacha, Ricky Rock e FunRide. As classificações vão estar em directo durante 24horas neste SITE.


terça-feira, 14 de setembro de 2010

XEQUE À TORRE - 9OUT10

No aniversario do JorgeMariaBolacha, vamos conquistar a Torre a partir do Canhestro (Arganil). 186 Kms com 3583 metros de acumulado e muitas rampas de 16%. Vai ser Mega Brutal. O pelotão com cerca de +- 14 pessoas vai tentar fazer a Trip em 10 horas totais. Com a partida ao Nascer do Sol, o regresso está previsto para as 17H, com uma media de +- 22 km/h.  
Podem ver aqui o grafico do Xeque à Torre.

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Rescaldo 23ª e 24ª Etapa das VPBTT - 28e29AGO10

A loucura está de volta. Andar pelo pais a fazer registos fotograficos cerebrais e a tentar conquistar os quatro cantos do pais é mesmo uma cena à parte. Desta vez a Tribo passou a Gang das Bicicletas. O objectivo era mesmo gamar a Espada que estava na Cinta do Freixo. Depois de muitos quilometros em trilhos lunares lá chegamos. Bem tentamos mas as perninhas de alicate (a Guardiã da Espada) já tinha muita experiência. Como os seus 90 anos, enviou um feitiço ao Did e este não teve coragem de efectuar o gamanço. Alem disso ainda foram os dois para aos apalpanços e efectuar a limpeza quinzenal da dentadura das pernas de alicate. Foi lindo vê-los fazer o Amor em Freixo de Espada a Cinta
Estatisticas
Etapa de Ligação - 136Kms - 6H09m - 1705m acumulado
23ªEtapa - 76 kms - 4h37m - 1162m acumulado
24ªEtapa - 69Kms - 5h06m - 1548m acumulado  
Toda a Historia nas 140 imagens AQUI

domingo, 27 de junho de 2010

Foto-Report - Caminhos Avis 2010 - 182kms - 3JUL10

Depois de 6 anos a Conquistar Avis desde de Almada por varias vertentes, em 2010 a escolha devido a alguns factores, recaiu pela vertente sul. O factor mais importante da escolha foi de facto o ISOLAMENTO.
O isolamento durante horas, provoca sensações únicas. Provoca aquele sensação de estar longe de tudo e de todos e que és autenticamente engolido pela natureza virgem.
Sabia que pela Vertente Sul os trilhos de terra solta era inevitáveis. Mas os Caminhos de Avis sempre foram uma conquista e por isso os obstáculos que nos aparecem pelo caminho são para eliminar.
Depois de dois anos em que a taxa de participação foi grande, em 2010, o grupo foi mais reduzido, mas muito homogéneo.
O dia de inicio estava fresco, mas à medida que íamos para o interior o calor começou a gritar e acabou por ser um dia muito, muito quente.
Partimos de Almada às 7H15m. Antes de chegar ao Casal do Marco, já o pneu do Pepe tinha estoirado. É o problema da conversões. Depois de ser colocada câmara de ar, tudo ficou resolvido.
No Casal do Marco, a equipa eupedalo.com entrou e o grupo e com o Serrano a ir buscar um participante à estação de comboio, o grupo ficou completo.
Penso que éramos 13 ou 14. Mas que no Pinhal Novo ficou com menos 3 participantes (já estava programado em voltarei mais cedo).
Até Pegões não existem muitas historias. O corpo está fresco. Os trilhos são conhecidos para muitos.
Ainda iam todos com um grande sorriso nos lábios.
A primeira paragem foi em Craveira do Sul.
Com 70 kms estávamos todos bem. Até ali os trilhos eram muito, muito rolantes e a media era de 23 km/h
A partir da Craveira do Sul é que ia começar a verdadeira aventura.
Os trilhos de Canha são rápidos, mas num ligeiro sobe e desce. Pequenos “bancos” de areia fazia-nos reduzir o andamento, provocando algum desgaste extra.
O calor apertava. Rapidamente acumulávamos km atrás de km e com 93 kms avistamos Cortiçadas, onde iríamos almoçar.
Sandes de Carne assada e um bebida fresca fez esquecer, ou pensar no que virai a seguir.
De Cortiçadas ao Açude do Gameiro era a pior ligação dos Caminhos de AVIS 2010
São 40 kms completamente isolados, com uma temperatura superior a 40º, em trilhos de areia solta, sempre em sobe e desce ligeiro.
BRUTAL
Ali é que senti o isolamento total. Éramos só nós e os trilhos (que eu os acho espectaculares).
A junta da cabeça para alguns já estava no limite, mas continuamos, continuamos. A media era de 20 km/h.
Já nos últimos kms antes de chegarmos a Mora e ao Açude do Gameiro, foi o grito quase final para alguns, mas com a esperança em dar uma mergulho na Praia Fluvial, a motivação foi mais forte do que o cansaço.
O não ter carro de apoio, tem essa vertente espectacular, ou seja, mesmo que estejas todo “roto” e tenhas que fazer mais 1.000 kms, vais ter que os fazer, porque não existe outra maneira de chegares ao teu carro e isso leva-te a conseguires superar-te a ti próprio.
Depois de fazer a Ciclovia e a Ecopista de Mora chegamos à Praia Fluvial. Fomos a banhos. Espectáculo.
Depois de muitas coca-colas, gelados, cachorros e minis, tivemos que partir, para a ligação que foi para alguns fatal ou quase fatal.
Era uma simples ligação até Aldeia Velha de 25 kms, sem muita areia e com trilhos bonitos e bastante ciclaveis. Mas o cansaço já era muito e o grupo partiu.
Em grupo ou individualmente todos entramos em Aldeia Velha. A concentração foi no largo da Aldeia e com direito a Petisco de Chouriços e Minis.
Para um participante foi ali que tudo acabou. O corpo mandou parar e o Cérbero não reagiu. O factor físico derrotou o psicológico.
Para mim ele ficou por lá porque tinha viatura de apoio naquele local. Se não tivesse lá a viatura, teria feito mais 17 kms até a AVIS.
Outros participantes quase, mas quase tiveram a mesma tentação, mas seguiram.
Os 17 kms que ligam Aldeia Velha a AVIS são lindos. O pôr-do-sol dá-lhe outro Brilho. O ritmo baixou muito e fomos todos juntos.
Foi muito agradável aquela ligação.
Pela primeira vez paramos na placa de AVIS e tiramos uma fotografia.
Estavam conquistados os Caminhos de AVIS 2010 com muita determinação e vontade.
O jantar foi magnifico à bordinha da Agua da Barragem do Maranhão.
Foi comer e beber até cair para o lado, na companhia dos Grandes Cavaleiros de Avis e as suas Rainhas, Princesas e Principies.
O plano da dormida foi alterado e quase todos foram dormir ao Aldeia Velha Resort.
Na manhã de domingo, algumas caras apresentavam-se empenadas.
O pequeno Almoço foi em Avis a ver uma prova para o campeonato de Triatlo.
Enquanto uns foram descansar para casa do empeno do dia anterior, outros foram para o OASIS das Galveias desfrutar de uma magnifica piscina com direito a sesta à sombra de palmeiras.
O dia estava a acabar e o fim-de-semana também.
Foram 2 dias felizes da nossas vida e tudo graças a vocês, porque sem vocês não existiriam os Caminhos de Avis.
2 JUL 11 – Caminhos AVIS – Vertente Central